.

quinta-feira, 18 de junho de 2015

50 Provas Que Estamos Vivendo Nos Últimos Dias


A Bíblia diz que não podemos saber quando o Senhor voltará (Mateus 25:13). Mas as Escrituras também dizem claramente que podemos saber a época da volta do Senhor (1 Tessalonicenses 5:2-6): "porque vós mesmos sabeis perfeitamente que o dia do Senhor virá como vem o ladrão de noite…Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que aquele dia, como ladrão, vos surpreenda; porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas; não durmamos, pois, como os demais, antes vigiemos e sejamos sóbrios."
Essa passagem mostra que Jesus voltará como um "ladrão de noite." Mas depois procede a esclarecer que isso será verdade só para o mundo pagão e não para os crentes. A volta d'Ele não deveria surpreender os que conhecem a Ele e Sua Palavra, pois eles têm o Espírito Santo para dar-lhes entendimento da natureza dos tempos.
Além disso, as Escrituras nos dá outros sinais pelos quais vigiarmos - sinais que indicarão que Jesus está pronto para voltar. O escritor da carta aos Hebreus referiu-se a esses sinais quando ele proclamou que os crentes deveriam encorajar uns aos outros quando eles vêem o dia do julgamento chegando (Hebreus 10:25-27). Jesus também referiu-Se aos sinais dos finais dos tempos no Seu Discurso no Monte das Oliveiras, dando durante a última semana da Sua vida (Mateus 24 e Lucas 21). Falando sobre vários sinais que Ele havia dado aos discípulos, Ele disse, "Igualmente, quando virdes todas essas coisas, sabei que ele está próximo, mesmo" (Mateus 24:33).
Uma Experiência Particular
Cada vez que penso dos "Sinais dos Tempos" lembro-me de um grande homem de Deus chamado Elbert Peak. Tive o privilégio de participar com ele numa conferência de Profecia Bíblica em Orlando, Florida no começo dos anos 1990s. Sr. Peak já tinha seus 80 anos.
Ele tinha escolhido o tema, "Os Sinais dos Tempos." Ele começou sua apresentação observando "Sessenta anos atrás quando eu comecei a pregar, você tinha que catar como uma galhinha para encontrar os sinais da breve volta do Senhor."
Ele parou durante um momento e acrescentou, "Mas hoje existem tantos sinais que já não preciso procura-los. Ao invés, estou esperando ouvir um som - o som da uma trombeta!"
O Primeiro Sinal
Cem anos atrás em 1907 não havia sequer um tangível, medível sinal que indicava que estivéssemos vivendo durante a temporada da volta do Senhor. O primeiro a se manifestar foi a Declaração de Balfour que foi feita pelo governo Britânico do dia 2 de novembro de 1917.
Essa Declaração foi feita porque durante a 1ª Guerra Mundial os turcos foram aliados com os alemãs. Então, quando a Alemanha perdeu a guerra, os turcos também a perderam, e os aliados vitoriosos decidiram dividir tanto o império dos alemães quanto o da Turquia.
Os territórios turcos, chamados o Império Otomano, continha a antiga terra do povo judaico - uma área que os romanos botaram o nome de Palestina depois da última revolução judaica em 132-135 DC.
Em 1917 a Palestina incluía todo o que hoje conhecemos como Israel e Jordânia. No esquema que os aliados inventaram para dividir os territórios turcos e alemãs, à Britannia foi dado a Palestina, e foi isso que causou a Declaração de Balfour. Nesse documento, o Sr. Balfour, Ministro do Exterior, declarou que era a intenção do governo britânico estabelecer na Palestina "um lar nacional para o povo judaico."
O Evangélico principal na Inglaterra durante esse tempo era F. B. Meyer. Ele imediatamente reconheceu o significado profético da Declaração, pois ele bem sabia que as Escrituras profetizavam que o povo judaico será reunido na sua terra em incredulidade logo antes da volta do Messías (Isaías 11:11-12).  
Meyer enviou uma carta aos líderes Evangélicos da Inglaterra pedindo-os que reunissem em Londres em dezembro para discutir os significados proféticos da Declaração Balfour. Nessa carta ele disse, "Os sinais dos tempos apontam para o final dos tempos dos gentios… e o retorno de Jesus pode ser aguardado a qualquer momento."
Antes do começo da reunião, outra coisa muito importante ocorreu. No dia 11 de dezembro, 1917 o General Edmund Allenby liberou a cidade de Jerusalém de 400 anos de domínio turco.
Não há dúvida que esses eventos em 1917 marcaram o começo do final dos tempos porque eles facilitaram a reunião mundial do povo judeu à sua terra e restabelecimento do seu estado.
Desde 1917
Desde o início da Declaração de Balfour, temos visto durante o 20º século a aparência de sinal após sinal apontando à breve volta do Senhor. Existem tantos desses sinais hoje, em fato, que um teria que ser ou uma pessoa biblicamente analfabeta ou espiritualmente cega para não entender que estamos vivendo em tempo emprestado.
Eu pessoalmente busco a anos na Bíblia para identificar todos os sinais, e não tem sido um dever fácil de fazer. Porque exitem tantos sinais, tanto no Antigo e Novo Testamentos.
Já notei que a melhor maneira de estuda-los é categoriza-los, e ao fazer isso, encontrei seis categorias dos sinais dos últimos dias.
1) Os Sinais da Natureza
"... e haverá em vários lugares grandes terremotos, e pestes e fomes; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu." (Lucas 21:11)
Essa categoria de sinais tem sempre sido a mais desprezada, até entre os crentes. A mera menção dela geralmente evoca uma ridicularização acompanhada pelas palavras, "Vamos, o que há de novo? Sempre houveram terremotos e furacões e tempestades." Mas os que têm essa atitude esquecem que Jesus disse que os sinais seriam como "princípios das dores" (Mateus 24:8). Isso quer dizer que as dores aumentarão em freqüência e força o quanto mais perto está a volta do Senhor. Em outras palavras, haverão mais desastres naturais e mais esses serão mais intensos.
E isso é exatamente o que tem acontecido. Por exemplo, entro outubro de 1991 e novembro de 2004 - um período de 13 anos - os Estados Unidos teve:
• 9 dos 10 maiores desastres naturais na história.
• 9 dos 10 maiores desastres (de acordo aos gastos de ajuda de FEMA - Federal Emergency Management Agency) 
• 5 dos mais custosos furacões na história.
• 3 de 4 das maiores números de grupos de tempestades na história.
E lembre-se que essas estatísticas foram obtidas antes do desastre do furacão Katrina em agosto de 2005!
2) Os Sinais na Sociedade
"Sabe, porém, isto, que nos últimos dias sobrevirão tempos penosos; pois os homens serão amantes de si mesmos, gananciosos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a seus pais, ingratos, ímpios, sem afeição natural, implacáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus..." (2 Timóteo 3:1-4)
Essa passagem parece uma típica manchete diária hoje em dia! Note bem as três coisas que diz que o povo adorará nos últimos dias: si mesmos, dinheiro e prazer.
O amor de si mesmos é humanismo - o crer que o Homem pode realizar qualquer coisa. O amor ao dinheiro é o Materialismo. Quando o Humanismo é a sua religião, o seu deus sempre será o dinheiro. O amor ao prazer é o terceiro prazer que é mencionado. Isso é o Hedonismo, o estilo de vida que sempre será produzido pelo Humanismo e Materialismo.
Mas Deus não se deixa ser ridicularizado (Gálatas 6:7). Ele, pois, faz com que quando o homem escolhe o Humanismo, Materialismo, e Hedonismo, a recompensa é Niilismo - que é uma palavra filosófica para o desespero.
Preciso eu mostrar que o nosso mundo está cheio do desespero hoje? Vivemos numa sociedade atormentada por aborto, homossexualismo, violência, assédio de crianças, blasfêmia, pornografia, alcoolismo, abuso de drogas e jogos de risco.
Como nos dias dos Juízes no Antigo Testamento, o povo está fazendo o que é certo em seus próprios olhos, e o resultado é que o povo está chamando o mal de bem e ao bem de mal (Isaías 5:20).
3) Os Sinais Espírituais
Têm mais sinais nessa categoria do que qualquer outra. Muitos são diabólicos, mas também têm algumas muito positivas. Acerca dos sinais negativos, uma passagem típica é essa encontrada em 2 Timóteo 4:3-4: "Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão"
Alguns dos sinais espirituais que são especificamente profetizados incluem os seguintes: cristos falsos, religiões falsas, heresias, apostasia, cepticismo, decepção, ocultismo, e perseguição. 
O que Jesus mencionou com maior freqüência foi o de cristos falsos e suas religiões falsas (Mateus 24:51124). Desde 1850 temos tido uma explosão dessas religiões falsas, cumprindo essas profecias.
Mas, graças a Deus, sabemos que haverão muitos sinais positivos nos últimos dias. O mais importante deles, que é profetizado em várias passagens, é o derramamento do Espírito Santo (Joel 2:28-29).
Esse derramamento começou no começo do 20º século, e provou ser uma das maiores surpresas - e benção - espirituais do século. Entenda que, no início do século o ponto de vista predominante entre os Católicos e Protestantes sobre o Espirito Santo era de Cessacionismo.  Esse dizia que os dons do Espirito cessaram quando o último Apóstolo morreu. Em efeito, foi uma crença que o Espirito Santo havia se aposentado no Primeiro Século.
O 20º século havia só começado quando ocorreu um avivamento do Espirito Santo numa pequena universidade Bíblica em Topeka, no estado de Kansas, E.U. em 1901. Três anos depois, uma revivificação semelhante moveu sob o país de Wales e começou a espalhar por todo o mundo. Aí, em 1906, o Espirito caiu poderosamente sob um humilde pregador negro na cidade de Los Angeles chamado William J. Seymour. O Avivamento da Rua Azuza (Azuza Street Revival), como veio a ser chamado, continuou durante quatro anos e germinou o movimento Pentecostal.
A Bíblia profecia dois grande derramamentos do Espirito e retrata-os simbólicamente como "chuvas de outono e as de primavera" (Joel 2:23), baseado nas duas épocas de chuvas de Israel. A de primavera aconteceu durante Pentecostes no Primeiro século quando a igrêja foi estabelecida. A de outono foi profetizada a acontecer depois que o povo judaico se re-estabelecese na sua terra (Joel 2:18-26).
Primeiro houve a unção do ministério de Billy Graham em 1949, seguido pelo movimento carismático dos anos 1960s. Hoje, a maioria dos Cristãos, sejam Pentecostais, Carismáticos, ou Tradicional, reconhecem plenamente que o ministério do Espirito Santo está ativo em adoração cheia do Espírito, a validade dos dons do Espirito, a realidade da batalha espiritual, e a importância da vida cheia do Espírito em vencer a batalha.
Além da descobrimento renovado do Espírito Santo, existem outras profecias Espirituais positivas se realizando hoje - como a pregação do Evangelho por toda a terra (Mateus 24:14), a revivificação de louvores Davídicos (Amós 9:11) e o surgimento do Judaísmo Messiânico (Romanos 9:27).  
> > > NOTA DO TRADUTOR: O Messianismo ao qual Dr. Reagan fala refere-se de judeus que acreditam que Jesus Cristo é o Messías que veio, morreu e ressuscitou pelos nossos pecados. São Cristãos, mas destacam-se no fato que foram criados na religião judaica, mas como todo Cristão, pela graça de Deus, chegaram ao reconhecimento do nosso Senhor e Salvador. - Não tem NADA a ver com a igreja Messiânica no Brasil, ou Igreja Messiânica Universal. < < <
Em outras palavras, a Bíblia ensina que muitas das profecias dos últimos dias não serão entendidas até que o tempo chegue para elas serem cumpridas. E isso é exatamente o que tem acontecido nos últimos 100 anos. Desenvolvimentos históricos e científicos estão agora ajudando-nos a entendermos profecias dos últimos dias que até agora não eram claras.
Por exemplo, Israel. Toda profecia quanto aos últimos dias têm a ver com a nação de Israel. Mas como poderiam ser entendidas essas profecias enquanto Israel não existia e não havia nem possibilidade da nação existir novamente algum dia?
É por essa razão que o livro de Hal Lindsey, A Agonia Do Grande Planeta Terra (The Late Great Planet Earth), foi um sucesso e bestseller nos anos 1970's. Pela primeira vez foi explicado os eventos profetizados no livro do Apocalipse em maneira que todos podiam entender facilmente.

4) Os Sinais da Política Global


"...Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino…." (Mateus 24:6-7)

Fui professor de política internacional durante 20 anos antes de entrar no ministério integralmente, assim que isso é uma area fascinante para mim.
A Bíblia profetiza uma configuração de políticas mundiais bem especifica durante os últimos dias. Israel se vê como restabelecido (Ezequiel 37:21-22) e cercado por vizinhos árabes hostis intento eu sua destruição (Ezequiel 35:1-36:7). Isso, sem dúvida tem sido a situação no oriente médio desde a declaração de independência de Israel em maio de 1948.
Daniel profetizou que o Império romano seria revivificado (Daniel 2:36-41), algo que muitos homens - como Charlemagne, Napoleão e Hitler - tentaram fazer por força. Mas a profecia tinha que esperar o tempo de Deus para seu cumprimento, e isso veio depois da segunda guerra mundial, com a criação do Mercado Comum Europeu que transformou-se ao super poder que é a União Européia. 
A Bíblia mostra um grande poder localizado na terra de Magog "no extremo norte". Essa nação ameaçará Israel nos últimos dias e eventualmente lidará uma invasão de Israel junto com aliados especificados, todos os quais são nações modernas muçulmanas (Ezequiel 38:1-39:16). Russia com todas as suas republicas muçulmanas e aliados muçulmanos cabe nessa descrição exatamente.
Todas as nações da terra são profetizadas a unirem-se contra Israel nos últimos dias sobre o controle de Jerusalém (Zacarias 12:2-3) - uma profecia sendo cumprida hoje.
A quantia de guerras no 20º século é outra profecia dos últimos dias sendo cumprida em relação à política mundial. O 20º século foi um cheio de guerra. Como as dores de parto, a freqüência e intensidade de guerra aumentou exponencialmente. Agora é estimado que mais pessoas morreram em guerras durante o 20º século que todas as guerras da história humana.

5) Sinais Tenológicos

"os homens desfalecerão de terror, e pela expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto os poderes do céu serão abalados." (Lucas 21:26).


O desenvolvimento de armas nucleares parecem prenunciarem essa profecia em Lucas 21 que fala dos "homens desfalecerão de terror" por causa dos "poderes do céu serão abalados". A incrível matança dos Julgamentos de Selos e Trombetas que vemos nos capítulos 6 e 8 do livro do Apocalipse indica que o Anticristo conquistará o mundo usando armas nucleares. Vemos que um terço do livro de Apocalipse será incendiado e um terço dos homens mortos. Além disso temos mais evidência que Apocalipse 16 fala de um holocausto nuclear, pois diz que no final da Tribulação os sobreviventes serão cobertos com feridas incuráveis (Apocalipse 16:11).

Como falei ante, existem muitas profecias dos últimos dias que simplesmente não podem ser entendidas sem conhecimento de desenvolvimentos tecnológicos modernos. Considere a profecia em Apocalipse 11 das duas testemunhas que chamaram o mundo inteiro ao arrependimento durante a primeira metade da Tribulação. Após serem mortos pelo Anticristo, lemos que seus cadáveres estarão nas ruas de Jerusalém por três dias e meio, e o mundo inteiro os verão (Apocalipse 11:9). Como é que alguém poderia entender tal profecia antes do progresso de televisão via satélite nos 1960's?

Igualmente, como poderia o Anticristo controlar todas as compras e vendas por todo o mundo (Apocalipse 13) sem a invenção da tecnologia de computadores? Como poderia o Profeta Falso criar a ilusão de dar vida a uma estátua (Apocalipse 13) sem a tecnologia de hologramas, realidade virtual e robótica? Como poderia uma exército de 200 milhões vir do Oriente (Apocalipse 9) antes da explosão de população que foi possível pela tecnologia médica moderna? Como poderia o Evangelho ser proclamada a todo o mundo (Mateus 24) antes da invenção de filmes, radio, televisão e a internet? A lista é enorme.

6) Os Sinais de Israel

"Naquele dia farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos; todos os que a erguerem, serão gravemente feridos. E ajuntar-se-ão contra ela todas as nações da terra.(Zacarias 12:3)

Os sinais que apontam para Israel são os mais importantes de todos porque a história dos judeus é o relógio profético de Deus. Por isso quero dizer que as Escrituras freqüentemente ligam um acontecimento profético do futuro com algo que acontecerá aos judeus. Sabemos que devemos ficar de olho nos acontecimentos aos judeus, e quando o que foi profetizado a acontecer a eles, podemos contar com que o ademais profetizado acontecerá.

Um exemplo encontra-se em Lucas 21:24 aonde Jesus profetiza que os judeus seriam dispersados de Jerusalém e levados cativos por todas as nações. Mas aí Ele acrescentou que um dia eles voltariam para repovoar Jerusalém, e quando isso acontecer, os acontecimentos dos finais dos tempos que começariam logo antes do retorno dEle.
Existem muitas profecias com respeito aos judeus nos últimos dias, muitas das quais começaram a serem cumpridas no 20º século, mas quatro delas são chaves. A primeira é a reunificação em incredulidade (Isaías 11:11-12). Em 1900 haviam só 40.000 judeus na Palestina. Ao final da 2ª Guerra Mundial, esse número havia acrescentado á 800,000. Hoje, existem mais de 5,7 milhões que vieram dos confins da terra. Em breve, haverão tantos judeus em Israel quanto morreram no Holocausto. O profeta Jeremias diz duas vezes que no final da história o povo judeu refletirá e chegará à conclusão que a reunificação foi um milagre maior do que o grande livramento do cativeiro egípcio (Jeremias 16:14-15 e 23:7-8). Estamos realmente vivendo durante uma época muito importante! 
A segunda profecia chave sobre os judeus é a conseqüencia natural da sua reunificação. É o re-estabelecimento do seu estado, que ocorreu em 14 de maio de 1948 (Isaias 66:7-8). A terceira profecia chave é a re-ocupação de Jerusalém que aconteceu em 7 de junho de 1967 durante a milagrosa Guerra dos Seis Dias (Zacarias 8:4-8).
A quarta profecia significante é a que estamos testemunhando hoje - o mundo focalizando toda a sua atenção à nação de Israel (Zacarias 12:2-3). Todas as nações do mundo, inclusive os Estados Unidos, estão unindo-se contra Israel sob o assunto do controle da capital da nação - a cidade de Israel. O Vaticano quer controlar a cidade. As Nações Unidas querem que seja internacionalizada. A União Européia está exigindo que seja dividida entre os árabes e os judeus. Os árabes querem controle da cidade inteira. 
Resumo
Afinal - seis diferentes categorías de sinais, cada categoria contem muitas profecias sobre os últimos dias, e todas quais estão sendo cumpridas no nosso dia. Deixe-me concluir com uma lista das 50 profecias.
1) Aumento de instabilidade da natureza.
2) Aumento de corrupção e violência
3) Aumento de imoralidade
4) Aumento em materialismo.
5) Aumento em Hedonismo.
6) Aumento na influência do Humanismo.
7) Entretenimentos depravados
8) Chamando o mal bom e o bom mal.
9) Aumento em uso de drogas
10) Aumento em blasfêmias.
11) Aumento em paganismo.
12) Aumento em desespero.
13) Sinais nos céus.
14) Aumento em ciência.
15) Aumento em mobilização
16) Explosão de religiões falsas.
17) Proliferação de cristos falsos.
18) Aumento de apostasia na Igrêja.
19) Aumento de ataques contra Jesus.
20) Aumento de ataques contra a Bíblia.
21) Aumento de perseguimento de Cristãos.
22) Aumento em ocultismo.
23) Guerras e rumores de guerras.
24) Armas nucleares.
25) Aumento em fomes.
26) Aumento de pestes.
27) Tecnologia informática.
28) Televisão.
29) Tecnologia satelital.
30) Realidade virtual.
31) Unificação da Europa.
(Daniel 2 e 7)
32) Forças armadas no oriente.
33) Moção para um governo mundial.
34) Reunificação dos judeus.
35) Re-estabelecimento de Israel.
36) Reocupação da terra de Israel.
37) Revivificação do hébreu Bíblico. 
38) Reocupação de Jerusalém
39) Ressureição das forças armadas israelitas.
40) Atenção política mundial em israelense.
41) Ameaça russa contra Israel.
42) Ameaça arabe contra Israel.
43) Negação da Volta de Jesus.
44) Negação da criação por Deus.
45) Derramamento do Espírito Santo.
46) Tradução da Bíblia a vários idiomas.
47) Pregação do Evagelho por todo o mundo.
48) Avivamento de judaísmo Messiânico.
NOTA DO TRADUTOR: O Messianismo ao qual Dr. Reagan fala refere-se de judeus que acreditam que Jesus Cristo é o Messías que veio, morreu e ressuscitou pelos nossos pecados. São Cristãos, mas destacam-se no fato que foram criados na religião judaica, mas como todo Cristão, pela graça de Deus, chegaram ao reconhecimento do nosso Senhor e Salvador. - Não tem NADA a ver com a igreja Messiânica no Brasil, ou Igreja Messiânica Universal.
49) Revivificação de louvores Davídicos
50) Ententimento de profecia Bíblica.
Essa lista pode ser altamente expandida, mas os 50 exemplos acima devem ser suficiente para mostrar que estamos vivendo durante a época da volta do Senhor.
A Bíblia claramente ensina que o Senhor nunca derrama Sua ira sem primeiro avisar, pois Ele é um Deus justo e de amor que não quer que nenhum se perda (2 Pedro 3:9). É por isso que Ele providenciou tantos sinais para avisar-nos do fato que estamos vivendo à beira da Tribulação. 
A Mensagem
O resumo da mensagem dos sinais é que estamos vivendo em tempo emprestado. A pergunta crucial para todo ser humano sendo "Você está pronto?" Está pronto para a volta de Jesus? Quando voltar será tua Benção Abençoada ou seu Santo Terror?
Será um ou o outro, pois Deus está determinado a julgar o pecado, e Ele o faz ou com graça ou ira (João 3:36). Se você já botou sua confiança em Jesus como seu Senhor e Salvador, então estás sob a graça de Deus. Seus pecados já foram perdoados e esquecido, e você pode olhar para o amanhã com confiança àquele dia em que Jesus aparecerá nos céus.
Mas, se você nunca recebeu Jesus como seu Senhor e Salvador, você está sob a ira de Deus, e não tem nada a esperar fora o terror da ira dEle.
A escolha é sua. Eu pessoalmente não entendo porque alguém daria as costas à dádiva da graça de Deus pela fé no Seu Filho. Eu botei minha fé em Jesus, e posso então olhar com grande antecipação e expectativa para a volta dEle em breve. Todo o meu ser grita, "Maranata! Venha logo Senhor Jesus" (1 Coríntios 16:22).

Nenhum comentário:

Postar um comentário