.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

A dor do Amor, uma reflexão por Vini Silva


O fato de vivermos num mundo caído e cheio de contradições, as vezes e infelizmente nos proporciona surpresas dolorosas e aparentemente mortais.

Como o fato de ter que encarar definitivamente a morte de um Amor-Grão que ficou pelo caminho da rejeição e da indiferença .


A “ nossa semeadura o nosso imenso monolito, nossa arquitetura “ quando não é algo edificado sobre a rocha, pode vir a ser um castelo de areia, edificado sobre ilusões; e uma “ semente de ilusão, tem que morrer pra germinar”.

Quando os gregos procuraram Jesus (provavelmente para apreciar a sua sabedoria), Jesus logo posiciona-os quantos aos intentos de vaidades germinadas dentro “ daquilo que é elevado entre os homens”.

Jesus fala da morte do Grão e da solidão que conduz a vida: Se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele fica só. Mas, se morre, produz muito fruto." - (Jo 12,24)

A nossa grande dificuldade em Amar é o fato de “plantar em algum lugar “ uma semente-expectativa de reconhecimento condicional ao amor que oferecemos. Não nos contentamos em simplesmente ter feito o que devíamos sempre ter feito, simplesmente ter AMADO!

Daí quando amamos e somos rejeitados pela indiferença e a rejeição dos outros, a gente se sente só! Numa “dura caminhada pela estrada escura”

A rejeição é dura e, dói muito mais saber que o amor que  você aguarda com tanta alegria, se vai embora em direção de um outro.
Jesus sentiu essa rejeição e amou mais, sofreu, mas sofreu para que o amor virasse semente para muitos.

Amar, sofrer, se abater, se levantar na expectativa de um outro amor, essa é a esperança, que, o amor jamais acaba e sempre haverá a possibilidade de se amar ou de ser amado.
Não se ama por obrigação, por decreto, por vaidade, se ama porque é necessário amar.

De fato e de direito, ninguém planta amor sem aguardar a semear o amor. Mas a grande questão é que nem sempre isso acontece, pois o próprio Jesus embora fosse seguido por multidões em determinados momentos, caminhava sozinho quando se tratava da sua verdadeira ambição que era dar a sua vida pelo pecado do mundo. No seu caminho sobremodo excelente, ele gerou frutos capaz de reconciliar toda a humanidade.

Por isso amando e seguindo o caminho do Amor sei que darei muito fruto, pois uma coisa é certa!: “ QUEM PODERA FAZER AQUELE AMOR MORRER? SE O AMOR É COMO UM GRÃO... MORRE NASCE TRIGO, VIVE MORRE PÃO!

Pense nisso e continue semeando muitos trigos de amor nesse mundo congelado pela inafetividade, continue amando assim mesmo!
Pois o maior fruto do Amor é o próprio Amor! e isso já basta!! pois sem ele " nada vale", e, não se pode amar o amor se por ele você nunca sofreu, ame, mesmo que te doa.

Vini Silva - 02.08.2012