.

domingo, 29 de abril de 2012

Governo Comunista Chinês quer erradicar o Cristianismo no País em dez anos

Governo Chinês quer fechar todas as Igrejas Evangélicas

Missionária chinesa teve sua casa invadida por quatro homens da policia secreta de Pequim, quando voltava de um culto, feito de forma secreta, por razões de segurança.

A China é um país aonde o Estado se declara oficialmente ateu.Diferente dos tempos do socialismo, quando se podia ao menos debater as idéias, mesmo as que eram contra os princípios da nação, o atual governo de Pequim, não respeita mais os direitos humanos e tem se dedicado exclusivamente a perseguição dos cristãos evangélicos.

Segundo informções da Frente de Missionários A Voz dos Martires, a China tem hoje cerca de 30 mil prisioneiros cristãos.Na foto a jovem Hu Jia, demonstra bem como é o dia-a-dia dos cristãos perseguidos na República Popular da China.Nesta sociedade de “socialismo com características chinesas”,

O governo da China está lançando uma campanha de três fases para erradicar todas as igrejas evangélicas do país. Esse foi o teor do comunicado divulgado em abril pela Associação de Ajuda à China, ONG que envia missionários para solo chinês.

A estratégia do governo foi claramente delineada em um documento divulgado em setembro passado, durante uma aula de treinamento gerido pela Administração Estatal para Assuntos Religiosos da China.
De janeiro a junho deste ano, o documento revela que as autoridades locais estão conduzindo uma investigação completa, para listar as igrejas de todo o país que funcionam nas casas chinesas, e fazer dossiês completos sobre cada uma delas.

Na fase dois, nos  dois anos seguintes, as autoridades irão encorajar as “igrejas não registradas” para se filiar ao Movimento Patriótico da Tríplice Autonomia, que monitora tudo o que acontece nos templos. A fase três, a ser concluída em até 10 anos, as igrejas que se recusam a seguir as regras seriam fechadas e os líderes condenados.

Os funcionários do governo também devem banir as palavras “igreja nos lares” de todos os relatórios sobre igrejas em sites e outros meios de comunicação. Agora, só podem usar o termo “reuniões em casas”, um termo que remete aos grupos reunidos em sites afiliados ao MPTA.

Em uma pesquisa recente, conduzida em várias províncias chinesas, mais de 95% dos líderes de igrejas caseiras disseram que já sentiram o impacto dessas investigações, enquanto 85% disseram que investigadores  já haviam feito um dossiê sobre seu grupo.

“Desde o início de 2012, temos notado um aumento na freqüência da perseguição”, disse a Associação de Ajuda à China em um comunicado de imprensa.  “Além da perseguição contínua das igrejas em Pequim, o número de casos semelhantes aumentou 20% em comparação ao  ano passado e se espalhou para outras áreas, incluindo ações contra educação, publicação e livrarias cristãs.”

A campanha foi lançada em dezembro de 2010 através de um documento intitulado “Operação Repressão”, emitido pelo Comitê Central do Partido Comunista.  Esta diretriz pedia às autoridades de todos os níveis para “levar” os cristãos das igrejas nos lares a freqüentar  somente as igrejas registradas e aprovadas pelo governo e acabar com igrejas grandes que se reúnem também em  grupos menores.

A Igreja Shouwang, que reúne mil membros, viu a pressão aumentar muito nos últimos meses.  ”No ano passado … a nossa experiência com o Senhor era diferente a cada semana.

 Foi  Sua graça e paz que nos protegeram e nos sustentaram até agora “, declara um líder da igreja
Essa operação também irá registrar todos os pastore, como uma maneira de continuar controlando o crescimento cristão e o surgimento de novas igrejas. Esse  processo deverá estar concluído até o final de 2012, segundo um comunicado oficial.

Segundo o documento divulgado em setembro passado, o governo planeja usar “medidas humanas da lei de execução” para alcançar a erradicação total de igrejas nos lares.  Ou seja, pastores que se negarem a cumprir a lei serão mortos por desobedeceram a lei.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

O Mistério do Código Secreto da Bíblia


O Código Secreto da Bíblia

Esse código é uma revelação de Deus, segundo Rogério da Costa: "No livro de Daniel, Deus o deu duas revelações, uma diretamente acessível — a saber, o próprio conteúdo bíblico —, e uma outra revelação selada, sendo esta última chamada de Código da Bíblia".

Esta revelação selada permaneceu oculta por cerca de 3200 anos, e desde o ano de 1997 as comunidades científica e judaica estão alarmadas com a descoberta de informações que vieram à tona com a descoberta do computador.

A divulgação mundial da descoberta de um código na bíblia judaica (antigo testamento), veio através de um livro intitulado de "O Código da Bíblia", escrito por um jornalista americano chamado Michael Drosnin, que foi o divulgador do assunto. Todavia Drosnin é apenas o canal da informação, pois o verdadeiro descobridor é um cientista judeu, chamado Dr.Eliyahu Rips, que reside há mais de vinte anos no estado de Israel e que atualmente é professor na Universidade Hebraica da capital Jerusalém.

A prova da autenticidade desta descoberta se dá na precisão de mais de mil fatos que aconteceram, com detalhes e datas, tudo codificado nos cinco livros de Moisés (O Torah), tais como: o assassinato de dois membros da família Kennedy, o atentado à bomba de Oklahoma, a eleição de Bill Clinton, tudo desde a II Guerra Mundial até o caso Watergate, do Holocausto Nazista até a bomba de Hiroshima, da chegada do homem à Lua até a queda de um cometa em Júpiter, a descoberta da data da Guerra do Golfo vinte e um dias antes de ela acontecer, a data do assassinato de Ytzhak Rabin mais de um ano antes do crime ter ocorrido em Tel-Aviv.

O interessante é que o código aparece no inverso do texto bíblico, além da surpreendente descoberta de que em cada profecia messiânica do antigo testamento, apesar de os judeus não aceitarem a Jesus como o Messias, aparece no código a seguinte frase: "O meu nome é Jesus, Eu sou o Messias". Contudo, o código apresenta três fatos que na seqüência das informações ainda não aconteceram:


1º. O código apresenta a I e a II Guerras Mundiais com todos os detalhes, as datas e os nomes dos envolvidos. Na seqüência, em torno do sobrenome do ex-ministro de Israel, Benjamim Netanyahu, e da palavra Jerusalém, o código apresenta as seguintes frases:

- Dia da III Guerra Mundial;

- Todo o seu povo irá para a guerra;

- Holocausto atômico em Jerusalém;

- 9 de Av - 5760/5766 (calendário judaico), que traduzido para o nosso calendário gregoriano será em torno de 25 de julho de 2000/2006.

Porém, o calendário judaico não tem vogais para se saber a relação entre 2000 e 2006.

2º. O código apresenta vários terremotos, desde os que aconteceram há muito tempo até os mais recentes. Ex.: o maior terremoto do mundo, que aconteceu na China em 1976, na cidade de Tang Chan, onde mais de 800.000 chineses morreram. E continuando, o código apresenta mais três grandes terremotos que virão: dois deles entre os anos de 2000 e 2006, sendo um na China e outro no Japão, e um outro em Los Angeles (EUA) com informações que, segundo o código, indicam o seu total desaparecimento do mapa em 2010.

3º. O código apresenta o choque de um cometa com o planeta Júpiter, que aconteceu em 1994. Em sua seqüência aparece a queda de três cometas gigantescos no planeta Terra; a primeira em 2006, a segunda em 2010 e a terceira em 2012, sendo que esta última se esfacelará antes do choque. A predição de dois cometas caindo na Terra encontra-se no livro das revelações (Ap. 8:8-10)

O CÓDIGO DA BIBLIA

Resumo do livro de M. Drosnin

No final do século XVIII, um sábio judeu, conhecido como Genius de Vilna, referindo-se à Torah, os cinco primeiros livros da Bíblia, afirmou:

"A regra é que tudo o que foi, tudo o que é e tudo o que será, até o fim dos tempos, está incluído na Torah da primeira à última palavra. E não só num sentido geral, mas nos detalhes de cada espécie e de cada um individualmente, com detalhe dos detalhes de tudo o que lhe aconteceu desde o dia de seu nascimento até sua morte" (O Código da Bíblia, p.18, de M. Drosnin).

Transcorria a Segunda Grande Guerra Mundial, quando um rabino da Tchecoslováquia chamado H.M. Weissmandel, movido pelo desejo de encontrar um possível código na Bíblia, começou a contar as letras hebraicas da Torah. Já no primeiro capítulo de Gênesis, notou que, saltando 50 letras e depois outras 50, e assim por diante, soletrava-se a palavra TORAH. Admirado, viu que o mesmo resultado podia ser encontrado nos demais livros que compõem a Torah. Este surpreendente resultado, que não pareceu-lhe casual, levou-o a escrever um pequeno livro, falando de sua descoberta.

Cinqüenta anos depois, o Dr. Eliahu Hips, um matemático de fama mundial, que é catedrático na Universidade de Jerusalém, ouviu através de um rabino, sobre esse curioso livro, cuja única cópia podia ser encontrada na Biblioteca Nacional de Israel. Curioso, Hips foi em busca de tal livro, e pode comprovar o curioso fato em sua própria Bíblia.

Hips, lembrou-se de outros cientistas que, muito antes dele, haviam investido tempo à procura de um possível código na Bíblia. Isaac Newton fora um deles. Newton, que havia imaginado a mecânica do sistema solar, havia descoberto a força da gravidade, aprendeu o hebraico, e passou metade de sua vida tentando descobrir esse código, o qual acreditava existir.

O Dr. Eliahu Hips, tinha uma grande vantagem sobre Newton: ele possuía uma ferramenta poderosa: o computador. Quando recorri ao computador, afirmou Hips, achei a brecha. Encontrei palavras codificadas, numa quantidade muito maior do que o permitido pelo acaso randômico da estatística, e então soube que estava chegando a algo de real importância"(O Código da Bíblia, p. 21).

Juntou-se ao Dr. Eliahu Rips em sua pesquisa, dois outros eruditos judeus, Doron Witztum, e Yoav Rosemberg. Desenvolveram um sofisticado modelo matemático que, quando implementado por um computador, confirma que o Antigo Testamento, não só a Torah, contem mensagens codificadas. Prepararam inicialmente uma tese denominada "Seqüências Alfabéticas Eqüidistantes no Livro de Gênesis". Introduziram a tese com um resumo de seu significado:

"A análise randômica indica que informações ocultas estão estremeadas no texto do Gênesis, sob a forma de seqüências alfabéticas eqüidistantes. O efeito é significativo em 99,998%. Observou-se, que quando o Livro do Gênesis é escrito como séries bidimensionais, seqüências alfabéticas eqüidistantes formando palavras com sentidos correlatos aparecem freqüentemente em estreita proximidade. Foram desenvolvidas ferramentas quantitativas para mensurar este fenômeno. A análise de randomização mostra que o efeito é significante ao nível de 0.00002"( O Código da Bíblia, p.22 e apêndice 1).

Na experiência inicial - o que seria posteriormente empregado em toda a Torah e outros livros da Bíblia - todas as letras hebraicas que compõe o livro de Gênesis, foram unidas formando um único fluxo, sem nenhum espaço, como originalmente foi escrito. Organizaram todo o texto num quadrado perfeito, havendo tanto nas linhas horizontais como nas verticais, a mesma quantidade de letras, exceto na última linha. Foi nesse quadrado perfeito, que o código começou a ser revelado, primeiramente no livro do Gênesis, depois em toda a Torah, em palavras cruzadas que na tela do computador se apresentam em diferentes cores.

Ao observarem que algumas palavras iniciavam-se em uma extremidade do texto, dando continuidade na outra, resolveram unir essas extremidades formando um cilindro, no qual a primeira linha se une à segunda, a segunda à terceira, e assim continuamente, até alcançar a linha final.Com esse modelo, qualquer palavra que surgisse, poderia ser lida numa única seqüência.

Para confirmarem a não casualidade das revelações que poderiam encontrar codificadas na Bíblia, os pesquisadores submeteram ao teste outras obras, entre elas a versão hebraica de Guerra e Paz, de Tolstoi, que tem a mesma dimensão da Torah. Em todas as experiências realizadas nessas obras, o resultado foi nulo, sem a presença de nenhum código.

A experiência inicial, foi buscar nomes de personagens importantes da história do judaísmo, desde os dias bíblicos até nossos dias. Fizeram uma relação com 32 nomes. Ficaram impressionados com o resultado, pois além do nome de cada um deles, podia-se ver as datas em que nasceram e morreram. Matematicamente falando, as probabilidades de encontrar randomicamente essas informações codificadas, eram de 1 em 10 milhões.

Tomaram então os 32 nomes e as 64 datas, e as misturaram em 10 milhões de combinações diferentes, de modo que 9.999.999 seriam incompatíveis e só um emparelhamento seria correto. Eles então rodaram esse programa no computador, para ver quais dos 10 milhões de exemplos alcançariam melhor resultado, e só os nomes e as datas corretas se uniram na Bíblia.

Harold Gans, um decodificador da Agencia de Segurança Nacional, dos Estados Unidos, ouviu com incredulidade sobre a descoberta dos israelenses, e procurou-os com o intento de desmascarar esse código da Bíblia, que para ele não passava de uma farsa ridícula. Gans preparou seu próprio programa de computador, e ao submeter o livro de Gênesis ao teste, surpreendeu-se ao ver os nomes dos 32 personagens, acompanhados pelas datas de nascimento e morte. Dominado pelo fato curioso, indagou sobre a possibilidade de encontrar junto aos nomes desses personagens, os nomes das cidades em que viveram. O resultado foi fantástico: ali estavam as cidades nomeadas ao lado de cada sábio. Desta maneira, o primeiro a tentar desmascarar o código da Bíblia, acabou comprovando-o.

Rips e seus amigos, submeteram seu ensaio aos mais rigorosos testes que foram aplicados pelos maiores matemáticos do mundo, muitos deles ateus, e todos eles se dobraram diante do fato incomum. Diante de seus olhos, na tela do computador, estava uma prova de a Bíblia foi elaborada por uma inteligência infinitamente superior que a dos homens. Descobriram ser tão complexo o código da Bíblia, que todos os computadores do mundo trabalhando juntos, seriam incapazes de elaborarem algo semelhante.

Rips é religioso, e não teve dúvidas de que ao descobrirem tal código, estavam sendo conduzidos por Deus para alguma revelação especial. O seu próximo passo, depois da experiência com o livro do Gênesis, foi uma busca em toda a Torah. O que poderiam revelar aquelas 304.805 letras, organizadas em seqüência ininterrupta? Teria o código algo a dizer sobre os grandes acontecimentos da história?

Movido por um sentimento de curiosidade e temor, Rips e seus amigos começaram suas buscas, e ficaram surpresos com os resultados precisos e detalhados. Procuraram primeiramente por Holocausto , e o computador, rastreando velozmente todo o texto, letra por letra, começando da primeira até à última, buscando a palavra chave e as demais correlatas, em saltos aritméticos que iam crescendo de números simples até alcançar milhares de letras; Com espanto, viram surgir finalmente, concentradas na tela do computador, uma revelação surpreendente pelos seus detalhes. Ali estavam, diferenciadas pelas cores, as palavras: Hitler, Homem Mau, Nazista Inimigo, Massacre.

Outro rastreamento do texto, revelou formações mais detalhadas sobre o Holocausto. A expressão Nazista, surgiu codificada com as palavras Na Alemanha; As palavras Fornos e Extermínio, apareceram vinculadas ao nome Eichmann - aquele que comandou o grande massacre.

Avançando em suas buscas, descobriram que todos os lideres da Segunda Guerra Mundial, apareciam juntos naquele código: Roosevelt, Churchil, Stalin e Hitler.

Rips e seus amigos, ficaram fascinados ao verem que o código da Bíblia não se calava sobre nenhum dos grandes acontecimentos da história. Napoleão, por exemplo, está codificado junto com França, Waterloo e Elba. A grande Revolução comunista que mudou a face do século XX, está codificada junto à palavra Rússia, e o ano em que triunfou 5678 ( 1917).

Procuraram por Einstein, e viram surgir na tela do computador o seu nome, cruzado por outras palavras e frases: Ciência, Um Novo e Excelente Entendimento, Ele Revolucionou a Realidade Presente, Uma Pessoa Inteligente.

Edison encontra-se codificado com Eletricidade e Lâmpada Elétrica. Grandes artistas e escritores, inventores e cientistas de todos os tempos encontram-se codificados. Beethovem e Bach estão ambos codificados com Compositores Alemães.

Todos os assassinatos que mudaram o curso da história humana, encontram-se codificados: Abraham Lincoln, Mahatma Gandhi, Anuar Sadat, a maioria deles com detalhes que revelam a data e o nome do assassino. Na única vez em que aparece Presidente Kennedy, a palavra seguinte na mesma seqüência do código é morrer. O nome da cidade Dallas, em que seria alvejado encontra-se codificado, junto ao nome do assassino Oswald. O nome do presidente egípcio Anuar Sadat aparece junto com o nome do assassino Chaled baleará Sadat, acompanhado pela data do crime 8 Tishri, e a ocasião do atentado, um desfile militar.

Depois de descobrir uma infinidade de nomes de pessoas, acontecimentos e datas que marcaram a história da humanidade, o Dr. Eliahu Rips e seus amigos começaram a indagar se aquele código da Bíblia, poderia indicar-lhes acontecimentos futuros. Por essa ocasião, final de dezembro de 1990, nações do Ocidente, lideradas pelos Estados Unidos da América, formavam um grande cerco contra o Iraque, devido sua invasão recente ao Kuwait. Rips procurou pelo nome de Sadan, e ficou espantado com o que surgiu na tela de seu computador. Ali estavam, destacadas em cinco cores diferentes, num padrão de palavras cruzadas, o nome de Sadan Hussein, acompanhado por surpreendentes revelações: Inimigo, Ele escolheu um dia, Guerra, Missil, Fogo no Terceiro Dia de Shevat ( 18 de janeiro de 1991).

Diante desta revelação, Rips ficou preocupado, mas ao mesmo tempo eufórico. Pela primeira vez o código revelava um acontecimento vinculado à uma data ainda futura. Foram três semanas de muita expectativa. Ao chegar o dia marcado no código, Rips, como toda a população de Israel achavam-se de sobreaviso para um possível ataque do Iraque. Confirmou-se naquele dia aquela previsão que fora codificada na Bíblia há mais de 3.000 anos, quando caiu sobre Tell Aviv o primeiro de uma série de mísseis scuds lançados sobre Israel. Rips, tomado por um sentimento de reverência, concluiu que Deus, descerrara-lhes o código da Bíblia, com o propósito de provar aos incrédulos a importância das Sagradas Escrituras, e ao mesmo tempo, alertar para grandes acontecimentos que se aproximavam.

O código da Bíblia, cujas revelações já haviam sido confirmadas por vários pesquisadores eruditos de Israel e do mundo, despertou finalmente o interesse de pessoas dentro do governo de Israel. Assim como os reis de Israel no passado, procuravam nas pedras da estola sacerdotal, Urim e Tumim, respostas para os seus temores, os agentes secretos do Mossad, haveriam de recorrer ao código da Bíblia( Ver I Samuel 28: 6).

Rips, dada a importância de sua descoberta, conscientizou-se de que a mesma teria de ser amplamente publicada, para que todo o mundo pudesse conhecer suas revelações, mas não sabia como isso haveria de acontecer. Visitou-o naqueles dias, Michael Drosnin, jornalista e repórter da Washington Post; Depois de ouvir de um amigo sobre a surpreendente descoberta de Rips em relação à guerra do Golf,. Drosnim, que era ateu, fora até ele, mais movido pelo desejo de ridiculá-lo do que verificar o fato. A primeira coisa que o jornalista fez, foi tomar uma Bíblia que estava sobre a mesa, desafiando Rips a mostra-lhe tal profecia sobre o Iraque. Sorrindo, Rips disse-lhe que o código da Bíblia, somente podia ser lido através do computador.

Cheio de incredulidade, Drosnin viu Rips digitar o nome de Sadan no espaço para busca. Surgiu em instantes o impressionante resultado. Rips fez o mesmo teste em Guerra e Paz, e nada apareceu. Drosnin estava pasmado. Aquilo era uma prova de que uma inteligência muito superior à nossa, foi capaz de codificar dentro de um texto tão amplo como a Torah, acontecimentos futuros.

Drosnin, que jamais se interessara pela Bíblia, decidiu investigar em seu computador o código. Rips forneceu-lhe para tanto todos os disquetes com o programa de procura e os textos da Torah e Guerra e Paz. Retornando aos Estados Unidos, Drosnin não pensava em outra coisa, passando longas horas em sua pesquisa. Depois de rever tudo o que já havia sido encontrado, ele começou a fazer suas próprias buscas.

Em maio, de 1994, Drosnin ficou surpreso com o que encontrou. Ele havia lido sobre o cometa Shoemaker - Levi, que segundo a previsão dos astrônomos haveria de chocar-se com Júpiter no dia 16 de julho daquele ano, dois meses depois. Ao procurar por Júpiter , encontrou-o numa seqüência horizontal, e cruzando-o em linha perpendicular, numa representação gráfica da queda do cometa, estava o seu nome completo, acompanhado pela mesma data que fora anunciada pelos astrônomos, o que veio a se cumprir com precisão.

Falando sobre o efeito desta descoberta em sua vida, Drosnin afirmou:

"Esta descoberta foi tão dramática que me fez voltar a acreditar em tudo. Durante aqueles dois anos de investigação, eu estava sempre me perguntando: - Será que isso é mesmo verdade? Teria alguma inteligência não-humana realmente codificado a Bíblia?" Cada manhã eu acordava duvidando de tudo, apesar das provas esmagadoras " ( O Código da Bíblia, p. 35).

Drosni, compreendeu que a ausência de uma única letra na Torah, anularia todo o esquema. O próprio Yoshua, referindo-se à integridade da Lei, que é a Torah, jurou: "Em verdade vos digo que até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da Lei, sem que tudo seja cumprido" (S.Mateus 5: 18). Para que este propósito divino fosse cumprido, os massoretas, os judeus que ao longo dos séculos trabalharam incansavelmente copiando a Bíblia, exerceram um cuidado extremo. Ao fim de cada cópia, contavam todas as letras do texto; Se a soma delas não correspondesse ao original, o livro era lançado ao fogo.

Pouco tempo depois de encontrar no código da Bíblia a surpreendente revelação sobre o cometa Shoemaker - Levi, Drosnin ficou profundamente abalado, quando ao digitar o nome de Ytzhak Rabin, viu surgir na tela, atravessando o seu nome, na única vez em que aparece, em saltos de 4.772 letras, a sentença Assassino que assassinará. Junto à sentença, encontrava-se o ano judaico 5.756, que começaria em finais de 1995. Naquela mesma noite, 1 de Setembro de 1994, Drosnin voou para Israel com o propósito de alertar o primeiro ministro, tentando preveni-lo para que evitasse esse trágico fim.

Chegando a Israel, não conseguindo contato direto com Ytzhak Rabim, fez chegar até ele uma carta, através do poeta Chaim Guri que era amigo íntimo do primeiro ministro. A parte principal de sua carta dizia o seguinte:

"A razão pela qual estou lhe dizendo isso, é que, na única vez em que seu nome completo - Yitzhak Rabim - está codificado na Bíblia, as palavras " Assassino que assassinará" o cruzam. Este fato não deve ser ignorado, pois os assassinatos de Anuar Sadat e de John e Robert Kennedy também estão codificados na Bíblia - no caso de Sadat, com o nome e sobrenome de seu matador, bem como a data e local do crime e como ele se deu. Penso que você corre perigo real; mas esse perigo pode ser evitado" ( Iden. 13).

Rabim não levou a sério a advertência. Um ano depois, em 4 de novembro de 1995, confirmou-se a trágica previsão, no início do ano indicado. Somente então, Drosnin e Rips, descobriram que próximo ao nome de Rabim, encontravam-se codificadas outras informações relacionadas ao crime, incluindo o nome da cidade Tel Aviv e o nome do assassino Amir.

Outra frase codificada no conjunto de palavras e frases ligadas ao assassinato de Rabim, era a seguinte: A partir do dia quinto de Adar todo o seu povo para a guerra. O dia 5 de Adar no calendário judaico, cairia no ano seguinte em 25 de fevereiro. O que poderia acontecer naquela data, capaz de desviar Israel de seus esforços para a paz, levando-o para uma posição de guerra?

Quando chegou o dia 25 de fevereiro de 1996, Israel foi atingido pelo pior ataque terrorista dos últimos três anos. Um jovem palestino, com uma bomba presa ao corpo, explodiu um ônibus em Jerusalém, matando 23 pessoas. Nos nove dias seguintes, duas outras bombas terroristas, elevaram o número de mortos para 61.

Antes destas bombas começarem a explodir no dia previsto, a nação de Israel, sensibilizada com o assassinato de Yitzhak Rabim por um próprio judeu, estava quase que em massa disposta a elegerem como novo primeiro ministro, Shimon Peres, um dos arquitetos da paz com os palestinos. Concorria com ele um oponente da paz chamado Netanyahu, cujas possibilidades de sair vitorioso nas eleições, eram mínimas, até que começaram a ocorrer os atentados. Sua pregação contra aquela paz com os palestinos começou então a ganhar força entre os israelenses, mas uma grande maioria ainda parecia apoiar a paz.

Uma semana antes da histórica eleição de 29 de maio de 1996 em Israel, Drosnin que era favorável à pacificação de Simon Peres, procurou no código da Bíblia pelo seu nome e nada foi revelado com relação à uma possível vitória. Experimentou então Netanyahu, e viu surgir para sua surpresa: Primeiro-ministro Netanyahu, eleito, Bibi. Bibi é o seu apelido em Israel.

Quando se confirmou a vitória de Netanyahu, Drosnin, juntamente com o Dr. Eliahu Rips, fizeram uma minuciosa procura no código da Bíblia, e ficaram surpresos ao verem que o nome do novo primeiro ministro, encaixava-se justamente entre Yitzhak Rabim, seu assassino Amir, logo acima da frase Todo o seu povo para a guerra.

Associadas ao nome de Netanyahu, começaram a descobrir outras formações de frases e palavras: Sua vida será ceifada; Assassinado; Para grande horror; Holocausto atômico.

Rips e Drosnin ficaram apavorados ao verem o nome do novo primeiro ministro associado a todas essas declarações de catástrofe. Aquele código da Bíblia, que os atraíra pouco a pouco, conquistando confiança através de suas curiosas revelações, os encaminhava agora num crescendo, aturdindo-os com sua misteriosa voz. Qual seria a próxima revelação desse código?

Com profundo temor, depois de lerem na tela do computador, associadas ao nome de Netanyahu, as duas espantosas palavras: Holocausto Atômico, eles procuraram descobrir o que revelariam estas mesmas palavras em formações de saltos aritméticos diferentes. Na primeira experiência encontraram: Holocausto Atômico, No fim dos dias. Depois encontraram: Fim dos dias, Pragas, Salvem!. O código da Bíblia revelou-lhes finalmente a mais espantosa de todas as revelações. Drosnin descreve esta descoberta com as seguintes palavras: "Quando abrimos o código em busca da Terceira Guerra Mundial, descobrimos que o ano em que ela poderia começar estava predito num pergaminho de 22 linhas que é a essência da Bíblia. Tal pergaminho é chamado "Mezuzah".

Contém 170 palavras que, dentre todas as 304.805 letras dos cinco livros originais da Bíblia, Deus ordenou fossem mantidas num rolo de pergaminho em separado e colocado na entrada de cada residência. "Em 5760 " e "Em 5766", os anos 2000 e 2006, estão codificados naquelas 170 palavras. "Guerra Mundial" na única vez em que está codificada em toda a Bíblia, aparece no mesmo trecho, e cruza um dos versículos sagrados. "Holocausto Atômico" na única vez em que está codificado na Bíblia, também aparece junto com os dois mesmos anos nos mesmos versículos do pergaminho...E no local em que os anos 2000 e 2006 estão codificados, o texto oculto do pergaminho sagrado alerta-nos sobre a guerra: Bombardearão seu pais, terror, devastação, está sendo lançada"(O Código da Bíblia, 123,124).

O pergaminho sagrado conhecido como "Mezuzah", que em suas 170 palavras hebraicas contém codificadas tão sérias predições, consiste no texto de Deuteronômio 6: 4 - 9 que diz:

"Ouve, Israel: o Senhor teu Deus é o Único Senhor. Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de toda a tua força. Estas palavras que hoje te ordeno estarão no teu coração. Tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, andando pelo caminho, deitando-te e levantando-te. Também as atarás na tua mão por sinal, e te serão por faixa entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais da casa, e nas portas".

Drosnin continua: "Não poderia ser por mero acaso que os anos mais claramente codificados junto com "Guerra Mundial" estivessem ambos , ocultos nas 170 palavras que foram preservadas num rolo de pergaminho em separado durante três mil anos, e ainda hoje são presos ao umbral da porta de quase todos os lares em Israel. Se uma simples letra estiver faltando, um Mezuzah não pode ser utilizado. "Alguém" queria ter absoluta certeza de que, não importa o que pudesse acontecer ao restante da Bíblia, essas 170 palavras, esse rolo de pergaminho seria preservado, tal como originalmente escrito, com seu código intácto" (O Código da Bíblia, 124).

Para enfatizar a seriedade das advertências reveladas no texto da Mezuzah, Drosnin conclui:

"E aquele antigo código, que agora predizia que a Terceira Guerra Mundial poderia começar dentro de uma década, também predissera que a Segunda Guerra Mundial começaria " em 5700 " - no nosso calendário moderno, 1939 / 1940...Armagedon nos anos 2000 - 2006 era o alerta codificado nos mesmos versículos sagrados da Bíblia, o código cuidadosamente preservado no Mezuzah" ( O Código da Bíblia,124).

Drosnin, sempre indagou o porque ele, um ateu, fora envolvido nessa questão tão séria. Poucos dias após a morte de Rabim, ele fizera esta pergunta para o Dr. Eliahu Rips, que respondeu-lhe: - É justamente por isso que você está envolvido nisso. Você pode contar ao mundo moderno sobre o código da Bíblia.

Sentindo ser esta a sua missão, Michael Drosnin, que já trabalhou no Washington Post e no Wall Street Journal; autor de Citizen Hughs, livro que esteve na lista de best-sellers do New York Times, escreveu o seu novo livro, O Código da Bíblia, onde revela a impressionante história de sua descoberta, as pesquisas que foram feitas, bem como suas comprovações.

Desde o seu lançamento nos Estados Unidos em 1997, O Código da Bíblia tem sido um best-seller absoluto, e tem se mantido no alto da lista dos livros mais vendidos em todos os países onde já foi publicado, entre os quais, Inglaterra, Alemanha, França, Itália, África do Sul, Austrália, Japão, Portugal, Espanha, Holanda, Brasil, etc.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Hugo Chávez confia em Cristo para sucesso de seu tratamento


O Presidente Venezuelano Hugo Cháves diz confiar em Cristo para sucesso de seu tratamento contra o Câncer


CARACAS (AFP) - O presidente Hugo Chávez disse em um vídeo divulgado terça-feira na
Venezuela ter certeza de que Cristo irá intervir de modo que o tratamento que vem se submetendo contra o câncer em Havana "tenha total sucesso" e assim ajudar a combater o câncer que tem desde o ano passado.

"É como um pacto com Cristo, que morreu, mas ressuscitou. Ele certamente irá inserir sua mão
(intervir) para este tratamento que estamos seguindo para que tenha supremo sucesso (...) e eu posso
continuar a me fortalecer com esse olhar no futuro ", disse Chávez na gravação de quase 15 minutos, o que foi transmitido por toda a rede de TV e rádio.

Vestido com roupas esportivas, as imagens mostram o presidente em um jardim e jogando bola Creole (jogo tradicional da Venezuela) com seu irmão, Adán Chávez, o chanceler Nicolas Maduro eo ministro da Ciência e Tecnologia, Jorge Arreaza.

 Na noite de segunda-feira, o governo da Venezuela lançou várias fotos dessa reunião, após o chefe de Estado se comunicar via telefone com o canal oficial VTV, que foi seu primeiro contato com a mídia estatal após nove dias em Havana. No vídeo, Chávez disse que "perdoa" aqueles que espalham rumores sobre uma alegada deterioração da sua saúde e disse que tinha "grande fé" no tratamento feito em Cuba, após a cirurgia em fevereiro, recorrência do câncer na mesma área onde a doença foi diagnosticada em junho de 2011.

 "Apesar daqueles que dizem que minha saúde vai mal, eu os perdoou os, eu tenho muita fé nesse trabalho que estamos fazendo contra a doença que me emboscou no ano passado e eu tenho muita fé em Cristo (...) para continuar a viver cada dia ", o governante com um crucifixo na mão. Chávez também disse que estava "muito, muito feliz" com o seguinte tratamento, embora reconheceu ontem que é "difícil". Em outras partes do vídeo, o presidente fala com sua filha Rosa e um de seus netos, enquanto anunciou que vai se reunir com Maduro para tratar de questões de governança, como Bill do Trabalho, entre outros.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

A Heresia do Arminianismo

Vini Silva


A HERESIA DO ARMINIANISMO ACRESCENTANDO OBRAS HUMANAS A OBRA DO REDENTOR É UMA DOUTRINA PAGÃ QUE GERA A DÚVIDA E CONSEQUENTEMENTE A MORTE PELA FALTA DE FÉ.

É IMPOSSÍVEL PREGAR A OBRA SALVÍTICA DE JESUS SEM O EVANGELHO DA GRAÇA, POIS A GRAÇA É O EVANGELHO EM SI, E NÃO HÁ COMO PREGAR O EVANGELHO SE NÃO PREGARMOS A JUSTIFICAÇÃO PELA FÉ SEM OBRAS, E AS OBRAS COMO CONSEQUÊNCIA DA FÉ QUE A JUSTIFICA.



 NÃO HÁ EVANGELHO SE NÃO FOR BASEADO NA REDENÇÃO DO POVO DE DEUS, DOS ESCOLHIDOS E ELEITOS PELA GRAÇA DE DEUS, GRAÇA ESTA IMUTÁVEL, SOBERANA E ETERNA, QUE LEVANTA O CAÍDO, QUE DA VIDA AO MORTO E SALVAÇÃO AO PERDIDO.

GRAÇA ESTA QUE JAMAIS CONDENA UM FILHO ELEITO, ANTES O CONDUZ A VIDA ETERNA CHEIO DO AMOR E DA GRAÇA DE JESUS CRISTO, POIS DELE VEM A SALVAÇÃO, POR MEIO DELE E SOMENTE POR ELE, POIS TUDO FOI FEITO POR ELE E PARA ELE, E SEM ELE NADA DO QUE FOI FEITO SE FEZ.

LEMBREMOS QUE FOMOS DADOS A JESUS POR DEUS, POR VONTADE DE DEUS E NÃO DO HOMEM, A OBRA DE DEUS PERTENCE A DEUS, POR ISSO TODAS AS COISAS ESTÃO DEBAIXO DE SEU CONTROLE, E NADA DO QUE FOI DETERMINADO POR DEUS DEIXARÁ DE SE CUMPRIR, POIS SE ASSIM FOSSE HAVERIA UMA FORÇA MAIOR QUE A DETERMINAÇÃO DE DEUS.

SE O PLANO DA SALVAÇÃO PROVÉM DE DEUS, NADA O PODERÁ DETER, ELE SE CUMPRIRÁ.
SE MEU PECADO TIVESSE A FORÇA PARA ME CONDENAR OU PARA ME ARRANCAR DAS MÃOS DE JESUS, MEU PECADO TERIA MAIS FORÇA QUE DEUS E CONSEQUENTEMENTE O DIABO, POIS O DIABO É O PAI DO PECADO.

SE SENDO REDIMIDO E PURIFICADO PELO SANGUE DE JESUS E, POR MEU SUPOSTO LIVRE ARBÍTRIO TOMASSE UM RUMO CONTRÁRIO E FOSSE LANÇADO AO INFERNO, ENTÃO O SANGUE DE JESUS SERIA FRACO E SEM VALOR DIVINO, E, SE O PRÓPRIO JESUS ME LANÇASSE AO INFERNO DEPOIS DE ME TER PURIFICADO E REDIMIDO, ELE SERIA UM SALVADOR INCONSTANTE DE ÂNIMO DOBRE.

MAS, UMA VEZ SABENDO, QUE A FORÇA DO PECADO É A LEI E QUE JÁ NÃO VIVO MAIS DE BAIXO DELA E SIM DA GRAÇA DE DEUS, DESCANSO EM CRISTO SABENDO QUE ELE MEDIANTE SUA GRAÇA E VONTADE, ME CONDUZIRÁ PESSOALMENTE A ETERNIDADE, POIS FUI FEITO PRA ELE E DELE SOU DESDE O INÍCIO E PARA TODO SEMPRE.

SABENDO SEMPRE QUE O QUE FOI ALCANÇADO PELA GRAÇA DE JESUS NÃO USA DE SUA LIBERDADE PARA O PECADO, POIS A GRAÇA NOS TIRA O PRAZER PELO PECADO, ANTES, NOS DIRECIONA A BUSCARMOS A SANTIFICAÇÃO, POIS NOSSO PRAZER ESTÁ EM AGRADAR AO SENHOR JESUS E NÃO A NÓS MESMOS.

A GRAÇA NOS MUDA, NOS TRANSFORMA, TRANSFORMA NOSSA MENTE, PENSAMENTOS E DESEJOS, FAZENDO-NOS A AGRADAR NOSSO SALVADOR.

HOJE O PECADO NÃO TEM MAIS FORÇA PARA NOS CONDENAR, POIS JA FOMOS SALVOS PELA GRAÇA DE DEUS, O PECADO PODE NOS TRAZER A CORREÇÃO DE DEUS E ATÉ MESMO SEU AÇOITE, MAS NUNCA SUA CONDENAÇÃO...

A  JESUS TODA HONRA E TODA A GLÓRIA

domingo, 8 de abril de 2012

"Fiz de tudo para você ser abortado", disse uma Mãe para Famoso Cantor Gospel


Fiz tudo para você ser abortado”, mãe disse para famoso cantor gospel

Fred Hammond, cantor gospel, compartilhou um testemunho muito forte no programa de rádio de Donnie McClurkin recentemente de como sua mãe quase o abortou deliberadamente, chegando ao ponto de entrar numa clínica pela segunda vez depois que a primeira tentativa fracassou, antes de mudar de ideia na mesa de operação.


“Ela disse, ‘Fui para a clínica e era ilegal fazer isso nas décadas de 50 e 60, e eu queria que você fosse abortado. E a expectativa era que eu fosse para casa e tivesse um aborto espontâneo, e levasse você de volta numa bolsa…”

“Ela decidiu voltar e disse: acho que não funcionou… Eles disseram: Não, ainda está aí, mas desta vez nós o pegaremos.

E ela diz que enquanto estava deitada ali, e eles pegaram as ferramentas, ela diz que sentiu como se Deus a fosse matar, e então se levantou e fugiu, vestindo suas roupas…”

“Eis a razão por que não tenho tempo de ‘brincar de igreja’: no final de tudo, quando eu deveria ter sido descartado, e as ferramentas entraram para me matar, para esmagar minha cabeça… o Senhor mostrou Sua mão, empurrou-me ali, e empurrou-me fora da direção dos instrumentos. E eles achavam que haviam conseguido me pegar”.

“Mas no final de tudo Deus tinha uma plano para uma situação de ruína”.


sexta-feira, 6 de abril de 2012

Líder Supremo do Irã anuncia o fim de Israel


LÍDER SUPREMO IRANIANO "ANUNCIA" O FIM DE ISRAEL...


O "grande líder supremo do Irão", o Ayatollah Ali Khamenei, verbalizando mais uma vez esta manhã o seu ódio contra Israel, vociferou: "O regime sionista é um tumor cancerígeno e vai ser removido!"




Khamenei fez esta sua ameaça esta manhã, perante milhares de fiéis que participaram na reunião de oração na Universidade de Teerão, nas celebrações do Fajr.

Segundo esta "besta", a revolução iraniana trouxe liberdade e dignidade ao povo iraniano e "destruiu o regime anti-islâmico, trazendo em seu lugar um regime islâmico... ditadura deu lugar à democracia...

Não contente com as ameças vociferadas contra Israel, Khamenei desprezou ainda a possibilidade de um ataque militar dos Estados Unidos ao Irão: "Uma guerra seria 10 vezes mais mortífera para os americanos...Estas aameaças indicam a fraqueza da América e os americanos precisam de saber que quanto mais ameaças fizerem, mais se prejudicam a si mesmos".O líder religioso iraniano desprezou também as sanções do Ocidente ao Irão, afirmando que as mesmas não põem em causa as ambições nucleares do Irão: "Eles disseram que iriam impôr sanções dolorosas para nos punirem, mas as sanções são boas para nós: elas fazem-nos depender do nosso próprio povo talentoso".

Khamenei reiterou também a ameaça iraniana de fecho do estreito de Ormuz, alertando que "quando chegar a altura, executaremos o nosso aviso".
O líder referiu-se ainda à "Primavera árabe", dizendo que acredita que em breve os palestinianos seguirão o exemplo do mundo árabe. Ele prometeu que "o Irão apoiará qualquer país ou organização que lute contra o regime sionista, que se encontra agora mais débil do que nunca" .

Khamenei, que tem a palavra final em todos os assuntos de estado, afirmou que o Irão tem ajudado o Hezbollah e o Hamas palestiniano nas suas lutas contra Israel.A multidão ali presente, ao ouvir estas vociferações, respondeu em uníssono, gritando: "Morte a Israel!"
Shalom, Israel!

terça-feira, 3 de abril de 2012

Netanyahu diz que sanções abalam o Irã, mas não bastam




JERUSALÉM, O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse na terça-feira que as sanções internacionais estão afetando a economia do Irã, mas não são suficientes para demover o país das suas ambições nucleares.



"O governo iraniano (...) está tendo problemas econômicas, mas ainda não recuou nem um milímetro em seu programa nuclear", disse Netanyahu em entrevista coletiva por ocasião do terceiro aniversário de seu governo.
"Será que essas dificuldades farão o governo em Teerã conter seu programa nuclear? O tempo dirá. Não posso lhes dizer se isso vai acontecer. Sei que há dificuldades, mas ainda precisa haver uma mudança."

O Irã diz que seu programa nuclear é pacífico, que o país não irá ceder a sanções, e que Israel e/ou EUA sofrerão retaliações se tentarem uma ação militar para destruir as instalações atômicas iranianas.

Na sexta-feira, o presidente dos EUA, Barack Obama, disse que irá manter as sanções ao Irã, e que o mercado mundial tem petróleo suficiente para poder dispensar o produto iraniano.

Na sua entrevista, Netanyahu não ofereceu novas explicações sobre como Israel pretende enfrentar a suposta ameaça nuclear iraniana. Retomando um tema familiar no discurso israelense sobre o país persa, Netanyahu contrastou o desamparo dos judeus durante o Holocausto nazista ao poderio militar e à influência diplomática do Estado judeu criado após a Segunda Guerra Mundial.

"O povo judeu não tinha essas capacidades 70, 80 anos atrás. Não tínhamos essas ferramentas. Hoje essas ferramentas existem, e é nosso dever usá-las a fim de conter as nefastas intenções dos nossos inimigos", afirmou ele, sem fazer referência explícita ao Irã.

Há cerca de dois meses, várias autoridades israelenses fizeram declarações sugerindo que uma ação militar contra o Irã seria iminente, o que gerou grande preocupação internacional. Mais recentemente, no entanto, Israel tem feito cautelosos elogios à possibilidade de retomada das negociações entre grandes potências globais e o Irã, prevista para este mês.

"Farei tudo o que puder para afastar esse perigo", disse Netanyahu. "Espero que possamos fazer isso juntos com os principais atores na comunidade internacional, é um grande perigo para eles, mas acima de tudo é um perigo para nós.'